Afinal, cafeína faz bem ou mal para saúde?

Amado por alguns e famigerado por outros, o cafezinho é algo que faz parte da cultura gastronômica do brasileiro. Não tem hora ideal para ele: de manhã para acordar, no corredor para bater um papo ou após aquele almoço para ajudar na digestão e não permitir que o sono venha. Mas, a cafeína presente no café e em outras bebidas, como o chá verde, faz bem ou mal para a saúde?

A cafeína é um elemento estimulante. Sendo assim, tem o efeito de despertar o organismo e deixar a pessoa mais alerta. O perigo é que esta substância é um alcaloide, um tipo de elemento viciante que cria reações no cérebro que provocam boas sensações, assim como a nicotina, teofilina etc. Deste modo, o corpo pedirá outras doses.

São fontes de cafeína: café, chá preto, chá mate, chá verde, bebidas à base de cola e chocolate.

A face ruim da cafeína

O consumo regular de cafeína vicia, como vimos acima. Sem consumir cafeína, o viciado diz-se irritadiço, com dores de cabeça e sem estímulos cerebrais para raciocinar ou concentrar-se.

As bebidas ricas em cafeína podem causar azias e insônia em pessoas mais sensíveis à substância. As pessoas menos sensíveis e que consomem muita cafeína só perceberão seus efeitos em longo prazo.

Há estudos que buscam provas para a associação do uso contínuo de cafeína à incidência de problemas no coração, porém, os estudos ainda são inconclusivos. Esta associação só foi percebida através de observações de grupos e cruzamento de índices.

Como estimulante do sistema nervoso, a cafeína provoca a elevação dos batimentos cardíacos. Por isso, se consumida excessivamente, a cafeína pode levar a uma arritmia cardíaca.

Apesar dos perigos do consumo excessivo, muitas pessoas que consomem cafeína de maneira equilibrada, mas diariamente, vivem uma vida normal e até mesmo saudável, como alguns praticantes de esportes. Para evitar os sintomas indesejados, deve-se limitar o consumo em até 5 xícaras diárias de café, por exemplo.

A face boa da cafeína

O efeito da cafeína no corpo, principalmente falando das pessoas que praticam exercícios físicos, é o efeito energético. Isso significa que o elemento fornece energia e disposição para melhorar o desempenho físico.

Alguns estudos associam o uso de cafeína à maior tolerância ao exercício prolongado, além do aumento da queima de gordura e preservação do glicogênio muscular.

Como a cafeína eleva a produção de hormônios do bem-estar e neurotransmissores no cérebro (serotonina e dopamina), ela poderia funcionar como coadjuvante no combate à depressão (tese ainda não 100% comprovada). Além destes, a cafeína libera a ação da adrenalina, um conhecido hormônio de ação lipotrófica (emagrecedora). A adrenalina também deixa o corpo em estado de alerta. Conheça um cofelen clicando aqui e conheça o Thermo Slim clicando aqui.

Mas, atenção: veja as recomendações abaixo para o consumo seguro de cafeína. Caso você opte por tomar suplementos de cafeína ou ingerir muitos cafezinhos achando que isso vai ajudar no emagrecimento, saiba que este elemento em excesso pode levar a problemas relacionados ao sono (o que atrapalhará o processo de emagrecimento, pois o corpo precisa de descanso em seu ciclo diário para livrar-se das gorduras) e danos à saúde de alguns órgãos como estômago, rins e fígado.

Para beneficiar-se das partes boas do consumo de café, restrinja-se a 4 xícaras de cafezinho diárias. Sem adoçar, claro. Caso opte por suplementações, não exceda o recomendado pelo fabricante ou nutricionista. Caso sua opção sejam os chás estimulantes (preto, mate e verde), não exceda 5 xícaras diárias.

Na dúvida, sempre vale a pena conversar com um profissional qualificado como nutricionista ou médico.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *