Causas da Queda de Cabelo

A queda de cabelo pode parecer algo inofensivo e corriqueiro para muitas pessoas mas, em alguns casos, pode ser o sintoma de um problema mais grave. Mesmo se não representar nenhum problema para a saúde, a queda de cabelo é algo que incomoda muito o afetado, pois prejudica a pessoa esteticamente, além dos incômodos fios que ficam na roupa e no chão da casa.

Identificar problemas mais graves através de um quadro de queda capilar não é tão fácil. Muitas vezes, danos mais profundos podem passar despercebidos pelo médico. Por isso, é importante conhecer as possíveis causas deste sintoma.

As causas podem ser internas (fatores originários de alterações fisiológicas ou psicológicas) ou externas (fatores que têm sua origem no ambiente e condições externas ao corpo).

As principais causas externas da queda de cabelo

1) Calor excessivo e abafamento: quando abafamos o couro cabeludo com bonés e outros apetrechos diariamente, deixamos a pele da cabeça com dificuldades em liberar calor, provocando a alta produção de oleosidade e o entupimento dos poros. O calor excessivo e umidade no couro cabeludo também são responsáveis pelo aparecimento de caspa e outros fungos. Este quadro agrava muito a queda;

2) Química de piscinas: piscinas contêm cloro e outras químicas para o tratamento da água. Isso faz com que os cabelos fiquem mais fracos e quebradiços, além do ressecamento provocado. É recomendável, portanto, para pessoas que praticam esportes aquáticos, o uso de touca protetora;

3) Química de tratamentos capilares: alisamentos e clareamentos podem deixar os cabelos bem propensos à queda. Cabelos alisados por químicas perdem as pontes de hidrogênio, o que os deixa mais quebradiços. Já o formol, usado nas escovas progressivas, é ainda mais prejudicial. O contato de muito formol com o couro cabeludo pode provocar queimaduras e inflamações que vão levar à perda de muitos fios. A mistura de químicas incompatíveis pode ser fatal para a saúde capilar, provocando severa queda e a quebra total dos fios;

Já descolorante tem a ação de descamar o fio, enfraquecendo-o. E a tintura pode abafar os poros do couro, provocando queda.

4) Agressões diárias ao pentear e arrumar os cabelos: quando escovamos os cabelos com força, as hastes têm que se esticar demais e acabam enfraquecendo. Sendo assim, os cabelos ficam fracos e suscetíveis à quebra. Além disso, os puxões podem retirar o fio pela raiz;

O uso excessivo de secador também prejudica o quadro, pois, além da escovação e da tensão provocada pelo puxamento do fio, o calor piora ainda mais a resistência do cabelo, desidratando-o e fazendo com que perca nutrientes. O calor também pode estimular a oleosidade excessiva (como efeito do organismo para compensar a desidratação) e a caspa.

Água quente no banho também resseca a estrutura capilar, retirando a oleosidade natural que funciona como proteção do couro cabeludo. Rabos de cavalo e tranças muito apertados também prejudicam e quebram o cabelo.

As principais causas internas da queda de cabelo

A calvície, transtorno de queda capilar, é algo causado por fatores internos e, geralmente, não pontuais (crônicos). Este problema pode ter diferentes graus, indo desde o grau I, um afinamento dos cabelos e redução do seu volume, até o grau III, uma rarefação permanente de fios.

Veja as causas:

1) Idade: quanto mais velhos, menos cabelo. Isso se deve ao enfraquecimento das funções reconstrutoras do nosso organismo como um todo;

2) Herança genética: chamada de alopecia androgenética, esta calvície é inevitável (apenas domável), pois vem de uma característica herdada dos pais. Apresenta-se em mulheres e de forma mais acentuada em homens. Neste caso, os fios começam a rarear na parte de cima da cabeça ou na região da testa (as entradas), copiando a característica genética dos pais. Com o aumento do estágio, dá para ver o couro cabeludo;

3) Influência hormonal: o desequilíbrio hormonal provoca, além da queda, a diminuição na produção de novos fios;

4) Alimentação incorreta: dietas com baixa proteína, vitaminas e minerais levam ao déficit de nutrientes essenciais para algumas funções do organismo, entre elas, a produção de mais cabelo;

5) Stress: pode causar o eflúvio telógeno, a segunda maior causa de queda de cabelos. Quando o corpo está sob stress, os fios param a fase de crescimento e vão para a fase de queda. Este desequilíbrio no ciclo natural dos fios causa um quadro de perda capilar bem desfavorável;

6) Anemia: a deficiência de ferro causa o mesmo problema do stress. Os fios param e de crescer antes da hora e antecipam a fase de queda;

7) Baixa imunidade, infecções e febre alta: quando o organismo precisa de energia para combater ameaças, ele pode deixar o crescimento capilar de lado. Neste caso, é necessário reforço com alimentação suplementar, como ingestão de vitaminas;

8) Doença autoimune: este tipo de queda capilar é chamado de alopecia areata. Esta disfunção causa a queda repentina do cabelo, deixando uma área do couro cabeludo pelada. Isso ocorre porque a doença autoimune faz com que o corpo desenvolva anticorpos para funções naturais do organismo, como, por exemplo, produção de cabelos.

Enfim, queda excessiva de cabelo pode ser causada por muitos fatores e, inclusive, um conjunto deles. Caso a perda capilar esteja realmente incomodando, há de se procurar um especialista na área e realizar algumas triagens para identificar a principal causa.

Se você está procurando um produto pare reverter a queda de cabelo, nós indicamos o Follixin!

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *